Como alinhar, as áreas de TI e negócios, para inovar!

Como alinhar, as áreas de TI e negócios, para inovar!

Compartilhe:

Por Julio Moretti – CEO do Grupo Qualitat

A transformação digital dentro das empresas é um caminho sem volta, assim como o alinhamento da TI com as demais áreas, em benefício do negócio. O que não significa que os CIOs não tenham desafios pela frente, uma vez que, historicamente, a tecnologia ainda é vista como um mal necessário, e ainda sem muito valor estratégico.

Sabe-se que a tão falada Transformação Digital não é um projeto, com começo, meio e fim. Trata-se de uma jornada e, sendo assim, irá requer planejamento e controle para que um objetivo fim seja atingido.

Mas o que é ser digital, a simples adoção das novas tecnologias? Descartar toda história de sucesso de uma Organização? E as pessoas e a cultura? E a segurança dos dados? Como fazer isso tudo ao mesmo tempo?

Embora os principais negócios não consigam competir efetivamente sem a tecnologia, ela não é vista como geradora do valor comercial. Somente métricas podem reverter essa crença. As empresas medem o valor de uma área de acordo com o quão bem ela expande as capacidades dos produtos ou serviços que vendem.

“Inovar é fazer algo que ainda não foi feito para resolver um problema”.

Um diretor de TI será questionado: a tecnologia pode aumentar a receita do negócio? Diminuir custos? Melhorar a produtividade? Ajudar a empresa a se destacar? E melhorar a satisfação do cliente? Não basta só dizer “sim” a todas as perguntas anteriores, é preciso ter ferramentas que comprovem.

Em um mundo ideal, os planos de negócios orientam os planos estratégicos de TI. A partir dos planos estratégicos de TI, vêm as iniciativas de soluções táticas. A TI, contudo, não pode cair na armadilha de achar que está fornecendo soluções valiosas para os negócios, quando na verdade não são.

Desenvolver relacionamentos sólidos entre os gestores de negócios e de TI também vai ajudar no alinhamento das áreas. Quando os líderes de TI entendem os desafios diários de negócios, estão mais bem posicionados para oferecer soluções de negócios reais à mesa. Os líderes empresariais, por sua vez, são mais propensos a defender soluções e projetos que a TI traz para eles se confiam que seus parceiros de TI realmente entendem suas necessidades de negócios.

Participei, nos dias 08, 09 e 10 de Agosto de 2018, como palestrante do evento CIO SAB 2018, do EBDI, cujo tema era, “A história não contada sobre os percalços e conquistas do CIO” onde tive a oportunidade de conhecer líderes de diversas empresas e como estão lidando com a nova postura que estão tendo de assumir, menos operacional e mais estratégico.

Durante o evento, alguém questionou aos presentes, quantos líderes ali faziam parte do Board da empresa? Dos cerca de 30 presentes, menos de 15% levantaram a mão!!!

Outra pergunta com resposta surpreendente, diz respeito a inovar com o uso de Startups. Menos de 5% dos presentes possuem um programa de inovação usando Startups. O principal motivo – Desconfiança!!Aos que imaginam que inovar é complexo, que necessita de tecnologia ou ferramentas super-ultra-modernas e caras, na minha visão, inovar é fazer algo que ainda não foi feito para resolver um problema. O uso de ferramental pode e deve ser um catalisador, mas nunca uma obrigatoriedade.

Bom amigos, a jornada é longa, mas precisa começar o mais brevemente possível. Para falarmos de transformação, nesse caso a digital, temos que abordar aspectos tradicionais de gestão, ou seja, marketing, vendas, operações, finanças e recursos humanos, buscando resultados aos quais nos permitam inovar.

Que tal evoluirmos nessa jornada juntos? Podemos entender sobre os seus desafios, apoiá-los na criação de uma solução (MVP) e na obtenção dos resultados tangíveis.

Saiba como no artigo: Inovação para aumento potencial das empresas!!!

Dados de mercado:

Aqui está um link com186 Unicórios, ou seja, empresas avaliadas em mais de US$ 1 bilhão que estão transformando o mundo com inovação.

Na mesma tendência de inovação, o Gartner publica anualmente, o já famoso Hype Cycle for Emerging Technologies que demostra as principais tecnologias e o seu ciclo de vida. Basta saber como e onde aplicar no seu negócio.