Roadmap para adequar a RPA às necessidades da sua empresa

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Nos últimos anos, os projetos para otimização de processos foram impulsionados pela economia de custos. Os resultados obtidos foram quase inteiramente medidos pela quantidade de custos economizados. Embora a Automação Robótica de Processos (RPA) também possa ser usada como uma abordagem tática para reduzir custos, essa visão é bastante restrita. A redução de custos vem ao final de um longo processo e é obtida com a melhora do rendimento dos processos atuais e a entrega de um melhor serviço ao cliente, por meio de três benefícios principais:
Eficiência – aumentando a produtividade e reduzindo o tempo necessário para concluir tarefas.
Qualidade – reduzindo erros e riscos operacionais.
Valor agregado – liberando os colaboradores para se concentrarem em tarefas de maior valor.

 

  É importante otimizar todo o processo  

Muitos líderes de TI podem ficar tentados a medir o sucesso da implementação de um projeto de RPA avaliando a eficiência de uma tarefa individual. Se o fizerem, obviamente verão uma melhora na eficiência e na qualidade do trabalho. No entanto, o objetivo geral não deve ser apenas melhorar tarefas individuais, mas otimizar todo o processo, que é composto normalmente por uma série de tarefas, para aumentar o rendimento e diminuir os erros do início ao fim.
Embora a RPA possa impulsionar a inovação e maximizar a competitividade, várias organizações ainda definem metas e expectativas irreais para a implementação da RPA ou a implementam de forma equivocada em uma área isolada e pontual. Isso leva a uma situação de risco em que a RPA não irá cumprir sua promessa de agregar valor aprimorado e o impacto subsequente será o descrédito para quaisquer outras iniciativas de automação por RPA.

 

  Avalie prioridades, viabilidade e riscos da automação   

A seguir, apresentamos um guia resumido, para ajudar a estabelecer prioridades, avaliar a viabilidade e antecipar os riscos do seu projeto de automação.
  1. Escolha os casos de uso para automatizar
Inicialmente, temos que ter claramente definido quais casos de uso desejamos automatizar. O primeiro passo é levantar todas as oportunidades de automação possíveis dentro da organização em um nível macro. Isso pode ser feito por grupos de trabalho formados por representantes de cada área da organização, com apoio especializado, que têm a missão de identificar os principais pontos problemáticos dos processos e analisar tarefas automatizáveis que podem remover esses gargalos.
Essa avaliação traz informações importantes para se definir quais processos desejamos automatizar, qual a extensão da automação e quais os benefícios podem ser alcançados, considerando os objetivos estratégicos corporativos.
  1. Identifique os tipos de automação mais apropriados
Que tipo de atividades você deseja automatizar? Basicamente, a RPA pode ser aplicada para:
  • Coletar informações;
  • Analisar informações;
  • Tomar decisões; e
  • Executar ações.
  1. Identifique os níveis de automação necessários
  • Nível 1 – Automação básica: neste nível, o sistema é totalmente dependente de decisões de agentes humanos e pode atuar em tarefas básicas e automação de workflow.
  • Nível 2 – Automação dependente de humanos: permite a automação de algumas atividades nos processos de negócios conduzidos por humanos. Os humanos tomam as principais decisões e pequenas decisões são automatizadas ao longo do processo.
  • Nível 3 – Automação com eventual intervenção humana: os agentes humanos apenas supervisionam os processos, que podem atuar de forma autônoma por alguns períodos de tempo.
  • Nível 4 – Automação total: Presume que os bots de RPA podem fornecer automação completa sem intervenção humana. Essa tecnologia ainda está em seus estágios iniciais de desenvolvimento e experimentação e tem como ponto frágil a ausência de análises subjetivas próprias dos humanos, como sensações e sentimentos (senciência)
  1. Defina a tecnologia ideal para se alcançar os níveis desejados de automação
Dependendo da aplicação escolhida é preciso definir a melhor classe de tecnologia para a automação:
  • Básica: suporta modelos determinísticos simples. Utilizada para lidar com dados estruturados e padronizados.
  • Intermediária: Ideal para dados padronizados, mas não estruturados.
  • Avançada: Suporta modelos probabilísticos complexos. Lida com dados não estruturados e não padronizados.
  1. Avalie se os níveis de automação são adequados e acessíveis
Defina o nível de risco de seu projeto de RPA com base em 6 fatores importantes, respondendo às seguintes perguntas:
  • Risco de resultado negativo: Qual é o impacto (custo econômico e financeiro) com problemas não previstos ou no caso de falha completa da automação? Está alinhado com o limite aceitável de risco?
  • Risco de implantação da tecnologia: Qual o risco associado com a implantação da tecnologia necessária para permitir os níveis desejados de automação?
  • Risco de adoção pelos usuários: Qual o risco associado com a rejeição da automação por mudança na gestão ou por resistência cultural?
  • Risco de confiabilidade: Qual o risco associado com a perda de confiança na automação, que possa prejudicar uma adoção contínua?
  • Risco de perda de informações: Qual o risco associado com a perda de informação sobre os processos, que possa impactar a recuperação das operações em caso de uma interrupção?
  • Risco de percepção da situação: Qual o risco associado com a perda de percepção das mudanças ambientais e sistêmicas (excesso de confiança na automação, com perda de controle do processo)?
  1. Conclua se o nível de risco é aceitável
Com base nas informações coletadas, decida se os níveis de risco apresentados em cada caso de uso de automação são aceitáveis.
Se sua avaliação for favorável, siga para a implantação.
Se restarem dúvidas, repita todas as etapas anteriores e procure revisá-las e identificar e esclarecer as incertezas.

 

  Estamos juntos nessa jornada   

A pressão para reduzir margens, adotar novas tecnologias e realizar investimentos em sistemas críticos cria enormes incentivos para a adoção da automação. As organizações buscam abordagens para construir uma verdadeira base de apoio a sistemas mais precisos de apoio à decisão, orientados por automação e inteligência artificial. Os benefícios incluem menos pessoal, menos erros, decisões mais inteligentes e segurança em escala. Esse caminho começa com o desejo de considerar quais decisões exigem automação inteligente e quais ainda dependerão de julgamento humano.
Definir o estágio atual de sua empresa para a adoção de RPA é um passo importante para a transformação digital. Se essa jornada está começando, faça várias perguntas internamente e também busque respostas fora da empresa. Encontre um parceiro confiável e experiente para ajudar a definir uma solução abrangente que inclua ferramentas e serviços especializados, e que facilite o entendimento do que será preciso durante e depois da transformação digital.
O Grupo Qualität oferece aos seus clientes Serviços de Consultoria e Serviços Especializados que adotam uma abordagem pragmática e com foco em resultado, voltados a simplificar o processo de modernização da TI. Ajudamos a capacitar seu pessoal e adequar processos e tecnologia para a jornada da Transformação Digital. Com isso, sua empresa poderá obter mais agilidade, custos mais baixos e maior flexibilidade, mantendo sua equipe interna focada em atividades de maior valor para suas metas de negócios.
Nossos consultores especialistas atuam como parceiros no planejamento, na implementação da tecnologia e no processo de transição em todas as etapas, desde o conceito até a implantação, com treinamento e suporte contínuo.
Agende uma conversa aqui com nosso time de especialistas, para juntos desenharmos uma solução que ofereça o melhor modelo e a melhor oferta econômica, de acordo com o nível de maturidade em automação da sua empresa e com maior retorno sobre o investimento do seu projeto de RPA. Nosso trabalho é facilitar o seu trabalho.

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print